IEQ INDUSTRIAL CONTAGEM MG

Otto e Heitor by Tiago Valadão http://www.ottoeheitor.com/


Um homem à beira do caminho

Dentre tantas lições que tiramos do encontro de Bartimeu com Jesus, algumas são realmente peculiares. O filho de Timeu já ouvira falar do Mestre e seus feitos. Ao saber que Ele se aproximava, não deixou passar a oportunidade de ter sua vida transformada.

É relevante o fato dele clamar por Jesus, chamando-o de Filho de Davi. Tal afirmação significa que, ao ouvir sobre Cristo, Bartimeu creu que Ele era de fato o Messias esperado. Ao chamá-lo assim, era como dizer: "Jesus, Rei meu e Salvador meu, tem compaixão de mim!" Uma confissão de fé explícita na promessa de Deus. Como André, ao chamar Simão seu irmão, para seguir o Mestre: "Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo)." (João 1:41) Bartimeu crera na pregação, ou seja, Jesus já era de fato seu Senhor antes mesmo de conhecê-lo. A mulher samaritana, cria na promessa mas não sabia que a promessa já se cumprira: "A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo." (João 4 : 25). Bartimeu já sabia que o Messias já estava entre eles, e era Jesus de Nazaré.

Salta aos olhos o momento em que Bartimeu, se levanta, após saber que seu clamor fora ouvido, lançando de si sua capa. A capa era uma marca das pessoas que mendigavam naquela época, indicando que era incapaz para o trabalho. Na certeza de que seria curado, e que não mais precisaria daquilo que era o símbolo de sua miséria, ergueu-se para ir de encontro ao Messias, seu Rei, seu Salvador. Ele fora chamado ao encontro do Rei, portanto aquelas não eram vestes apropriadas para tal momento. Ele havia alcançado o favor do Rei, que ao recebê-lo em sua presença, pergunta: "E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista." (Marcos 10 : 51)

O desejo de Bartimeu era mais que óbvio, mas sua fé alcançou o favor do Rei de forma plena. "E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho." (Marcos 10 : 52) Jesus confirma sobre o cego a salvação. De fato, a partir de então, este jamais necessitaria de sua velha capa outra vez. Ele acabara de receber novas vestes , vestes brancas, vestes de salvação; "Eu me regozijo muito no Senhor; a minha alma se alegra no meu Deus. Pois Ele me cobriu com vestes de salvação, e me envolveu com o manto da retidão, como o noivo que se adorna com um turbante, e como a noiva que se enfeita com suas jóias". ( Iaías 61:10 ) Em seguida, ele abriu seus olhos e contemplou Jesus Cristo, seu Rei e Salvador. A primeira imagem que seus olhos enxergaram foi o Filho de Deus.

Agora Bartimeu não era mais deficiente visual, poderia trabalhar e não mais mendigar. Sua dignidade e sua auto-estima foram restaurados no encontro com Jesus. Ele sempre teve fé, só lhe faltava este encontro para ter um futuro. O texto termina mostrando que ele passou a seguir Jesus pelo caminho. O filho de Timeu, sempre esteve à beira do caminho, mas agora ele andava no Caminho. "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14 : 6) Ele agora tinha um rumo, uma direção clara e caminhava firmemente em direção ao Pai.

Bartimeu ganhou novas vestes, vestes festivais, ganhou visão, teve sua dignidade devolvida e passou a andar no Caminho, não à margem, mas no CAMINHO.

Que Deus possa abençoar sua vida de forma poderosa através do exemplo de Bartimeu.

Paz seja convosco!


Autor: Pr Heber Dias de Sousa



Escrito por Pr. Heber Dias às 11h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Yo te busco - Marcos Witt

Mais um de meus favoritos. Marcos Witt é um dos maiores ministros de louvor de nosso tempo.

 



Escrito por Pr. Heber Dias às 10h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Lençol Sujo

Mais uma daquelas ilustrações especiais. Não é nova mas é sempre atual, além disso, tem sempre alguém que ainda não leu:

Um casal, recém casados, mudou-se para um bairro muito tranqüilo. Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou através da janela, uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

- Que lençóis sujos ela está pendurando no varal! Provavelmente está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

O marido observou calado. Alguns dias depois, novamente, durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e a mulher comentou com o marido:

- Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada dois ou três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal. Passado um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis brancos, alvissimamente brancos, sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:

- Veja ! Ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha ensinou ? Porque não fui eu que a ensinei.

O marido calmamente respondeu:

- Não, é que hoje eu levantei mais cedo e lavei os vidros da nossa janela!

E assim é. Tudo depende da janela através da qual observamos os fatos. Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir; verifique seus próprios defeitos e limitações. Devemos olhar, antes de tudo, para nossa própria casa, para dentro de nós mesmos. Só assim poderemos ter real noção do real valor de nossos amigos.

Lave sua vidraça.

Abra sua janela.

"Tire primeiro a trave do seu olho, e então verás claramente para tirar o cisco do olho do teu irmão" (Mateus 7:5)

Deus te abençoe !



Escrito por Pr. Heber Dias às 10h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


A importância da Pregação -

Dr. Augustus Nicodemus G. Lopes
  

Professor de Novo Testamento.
Doutorou-se em Hermenêutica e Estudos Bíblicos (Ph.D., NT) no Westminster Theological Seminary (1993). É Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie e pastor auxiliar da Igreja Presbiteriana de Santo Amaro. É autor de vários livros, entre eles "Calvino, o Teólogo do Espírito Santo" (1996), "O que Você Precisa Saber sobre Batalha Espiritual" (1997), "Calvino e a Responsabilidade Social da Igreja " (1997), "A Bíblia e a Sua Família" (2001), "O Culto Espiritual" (2001), "A Bíblia e Seus Intérpretes" (2004), além de diversos artigos.



Escrito por Pr. Heber Dias às 10h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Propaganda é a alma do negócio - Tony Bellotto

A discussão sobre a utilização ou não dos eventos esportivos para manifestação religiosa é importante e devemos concordar que se todos resolverem fazer isso vai virar uma "esbórnea". Mas, me chamou a atenção a pergunta do alto executivo de uma grande empresa de material esportivo, presente à final que resmungou: “Queria saber quanto Jesus pagou…”

Pois saiba esse senhor que Jesus pagou um preço que nem ele, nem sua empresa, nem todas as empresas de material esportivo ou todas as empresas do mundo poderiam pagar.

"O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo." (I Timóteo 2:6)

ISAÍAS 53

4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.

Questionar este ato por questão de ordem é uma coisa. Mas não me venha falar sobre PREÇO!

Pobre executivo do ramo esportivo... Pobre Tony Bellotto !

Tony Belloto - Cenas Urbanas


quinta-feira, 16 de julho de 2009 | 21:46


O artigo 4 do livro de regras da FIFA recomenda que jogadores de futebol não usem camisas com mensagens religiosas e slogans políticos em jogos oficiais, sob ameaça de punição. Fica assim alertado aquele jogador de um obscuro time do interior paulista que aponta o dedo para o chão a cada gol marcado, em agradecimento a Satanás, a quem atribui as glórias satânicas conquistadas com seus dribles e chutes. Se mensagem religiosa e mensagem anti-religiosa se equivalem, ficam também devidamente avisados do risco que correm jogadores ateus que vestem camisetas com dizeres como “Eu não amo Jesus” e “Deus não existe” a cada título comemorado.

O centroavante índio de um time do Mato Grosso - não me lembro o nome dele agora - também está proibido de levantar a camisa e deixar à mostra a frase “Tupã é meu guia” estampada no peito. O mesmo vale para o conhecido e chatíssimo lateral esquerdo que insiste em ler aos jornalistas - ao término de cada jogo - trechos do célebre discurso de Bertrand Russel, “Por que não sou cristão”.

Parece bobagem? Não é. A FIFA acaba de entregar à CBF um documento em que adverte os jogadores brasileiros a não exibirem camisas com mensagens religiosas. A FIFA está certíssima. Reage à recente manifestação de fervor religioso do jogador Lúcio que, ao comemorar o título da Copa das Confederações na África do Sul, exibiu uma camiseta com a frase “I love Jesus”. Kaká trazia um “I belong to Jesus” na camisa. “Aquelas imagens chocaram”, declarou um jornalista sueco. “Pareceu fundamentalismo religioso. Não se mistura futebol com religião. A seleção brasileira corre o risco de perder a admiração”.

Concordo. Religião (e não-religião), crença (e descrença) são assuntos íntimos e opções pessoais. Me desagradou a imagem daquelas camisas fazendo propaganda religiosa num evento esportivo. Um alto executivo de uma grande empresa de material esportivo, presente à final, resmungou: “Queria saber quanto Jesus pagou…”

Fonte: Revista Veja



Escrito por Pr. Heber Dias às 13h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Mulher de Kaká vai abrir igreja evangélica em Madri

Madri - Caroline Celico, mulher do jogador de futebol Kaká, vai abrir uma igreja evangélica em Madri, na Espanha. Ela anunciou as pretensões em um culto na Flórida, nos Estados Unidos. Caroline foi apresentada aos fiéis pela Bispa Sônia.



"Como pode alguém no meio da crise ter dinheiro? Deus colocou esse dinheiro na mão do Real Madrid para contratar o Kaká. Nós vamos poder abrir uma igreja lá. Existem vidas que têm que ouvir essa palavra", disse.

Em seu testemunho, ela ainda falou sobre o fato de perder a virgindade só após o casamento.

"Eu fiz uma aliança com o Senhor: quem ama espera. Quando eu conheci o Kaká eu não era convertida e acabei me apaixonando pela Renascer. Ele tinha colocado no meu espírito casar virgem. Eu não tinha dividido com o Kaká e pensei que quando eu falasse, ele iria me largar. Quando eu contei, teve aquele silêncio. Eu pensei que iria acabar. Mas ele disse: 'Esse foi o sinal que eu tinha pedido para o Senhor'", contou, antes de falar do "lado ruim" do sexo, das drogas e da prostituição. "Eu não me arrependo de nada", completou.

Caroline ainda ressaltou o fato de o marido ter resistido às ofertas de outras mulheres. "É muito assédio no mundo do futebol. Vocês devem ver notícias de outras pessoas por aí", disse.


Fonte: Portal Terra



Escrito por Pr. Heber Dias às 13h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


COMO LA BRISA - JESUS ADRIAN ROMERO

Vou postar de vez em quando algum bom clip... espero que gostem.

 

 



Escrito por Pr. Heber Dias às 12h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Jeremias 29:13

 



Escrito por Pr. Heber Dias às 00h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


BETSAIDA

Autor: Pr. Heber Dias de Sousa

Clique para ver a foto ampliada
Ruínas de uma imponente casa em Bethsaida onde havia um lagar de produção de vinho

Enquanto as pirâmides eram construídas no Egito, esta cidade levantou-se primeiramente na costa norte do mar da Galiléia, onde o Rio Jordão desaguava. Era uma cidade portuária, um centro da aprendizagem e pólo cultural dos judeus, um dos principais entroncamentos do mundo antigo, lar dos apóstolos e cenário de muitos milagres operados por Jesus.

 
O nome Bethsaida significa a "casa da caça" em hebraico. Bethsaida é mencionada nos quatro evangelhos e também pelo historiador Romano Josephus.  Sem dúvida é de suma importância para os cristãos entender e conhecer a respeito de Bethsaida, que foi cenário da multiplicação de pães quando as multidões foram alimentadas, onde um cego foi curado e onde várias testemunhas relataram ter visto Jesus andar sobre as águas. Josephus descreve Bethsaida, rebatizada como Julius por Philip Herod, e seu papel na guerra entre romanos e judeus quando ocorreu a queda de Jerusalém no ano 70 D.C. . Em alguma época depois do primeiro século, a cidade desapareceu.


As escavações revelaram que  Bethsaida foi fundada no século 10 A.C., no período bíblico. Naquela época a áreas norte e leste do mar da Galiléia faziam parte do reino de Gesur. Sua família real reinou ali por muitas gerações, e aliou-se a dinastia Davídica, através de um casamento. O rei Davi casou-se com Maacha, filha de Talmai rei de Gesur; que foi a mãe de Absalão. (II Samuel 3:3; 14:32) Escavações arqueológicas  revelaram que aquele lugar possuía imponentes estruturas e fortificações, e os escavadores concluíram que durante aquele período Bethsaida foi a capital do reino de Gesur e o trono dos monarcas.

A cidade era dividida  em duas partes: a cidade baixa, estendendo-se sobre a maior parte do monte; e a cidade alta – a acrópole – na parte mais elevada, ao nordeste do monte. Durante o século 9 A.C., a acrópole era cercada por  uma forte muralha e um portão, construída com grandes rochas de basalto. O muro possuía 6 metros de largura, e junto com com os contrafortes que projetavam-se de ambos os lados, alcançava uma largura de 8 metros.

JO 1:44 - E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro.

Ao contrário do que pensam e pregam muitos, apóstolos como Pedro, Thiago, João, André e Felipe, não eram semi-analfabetos e tão pobres. Oriundos de uma cidade pólo cultural, pode-se entender facilmente porque as cartas de Pedro tinham boa qualidade literária, até porque, entre os judeus, o semi-analfabetismo não existe. Possuir um barco àquela época não era coisa de somenos. Com muito menos tecnologia do que agora, construir barcos era algo caro. De fato, possuir um barco era como ter uma pequena empresa hoje.

A Condição Espiritual de Bethsaida nos dias de Cristo.

Assim com Belém significa "casa de pães", nos fazendo entender "padaria", Bethsaida pode ser entendida como "casa de carnes de caça" ou, para nós, "açougue". É exatamente o "homem carnal" que antagoniza e se contrapõe ao "homem espiritual". Belém é o berço do "Pão da Vida", porque lá nasceu o Salvador. Bethsaida é o berço da carnalidade e apostasia, onde Israel se distancia de Deus.

A Condição Espiritual de Bethsaida nos dias de Cristo pode ser claramente entendida através do relato de um maravilhoso milagre operado por Jesus na vida de um homem cego. É importante entender que, Cristo não economizou poder em Bethsaida, e muitos sinais foram ali operados.

MC 8:22-23 - E chegou a Bethsaida; e trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse. E, tomando o cego pela mão, levou-o para fora da aldeia; e, cuspindo-lhe nos olhos, e impondo-lhe as mãos, perguntou-lhe se via alguma coisa.

O mais importante detalhe deste relato, é o fato de que Jesus toma o cego pela mão e o conduz para fora da aldeia.

Diferentemente do cego de Jericó, que tinha fé própria e muita vontade de se ver livre de sua condição de mendicância e dependência da comiseração das pessoas, o cego de Bethsaida teve que ser levado por outros para receber a cura. Teve que depender da fé e boa vontade de pessoas que tiveram pena de sua condição triste e humilhante. Ele não tinha fé, não tinha amor próprio, não tinha nada... Analisando o que Jesus já falara a respeito de Betsaida, podemos claramente perceber, que a condição espiritual daquele lugar era a pior possível. O cego já havia absorvido toda essa influência maligna de morte espiritual, conformismo e derrota.

A situação da fé daquele cego era tão ruim, que Jesus teve que usar de um artifício, que hoje costumamos chamar de ponto de contato. Isso é raro no ministério de Cristo, mas muito comum em nosso evangelho contemporâneo. Isso ocorreu devido a falta absoluta de fé daquele homem, oriunda da convivência com o povo de uma aldeia espiritualmente morta.

O fato de Jesus chamar o cego para fora da cidade, nos faz meditar na própria natureza da Igreja. Ora, o termo igreja vem do grego Eklesia, que quer dizer: "Chamados para fora". Cristo nos convida para fora do mundo. Formamos uma comunidade separada. Somos nação eleita e povo santo. O termo santo significa: "separado". Somos separados para Deus. Vivemos para a glória de Deus.


MC 8:24-25 - E, levantando ele os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam. Depois disto, tornou a pôr-lhe as mãos sobre os olhos, e fez olhar para cima: e ele ficou restaurado, e viu cada homem claramente.

O ministério restaurador de Jesus Cristo, se manifesta neste episódio de uma forma espantosa. Cristo veio para restaurar a fé, a auto-estima e a saúde do ser humano que nEle crê. Sua obra é completa em nossas vidas, quando permitimos. Quando não damos ouvidos aos conselhos humanos, senão somente à voz dEle. Detalhes são importantes, porque são eles que nos dão condições de perceber a grandeza e a riqueza do amor de Cristo revelados nos relatos dos evangelhos. Marcos escreve que o cego "levantando os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam." Além de não enxergar, ele era um homem cabisbaixo e alquebrado. Ao primeiro toque de Jesus, ele "levantou o olhar", ergueu a cabeça. Ele começou a acreditar que poderia ser curado e liberto de sua condição deplorável. Mas sua capacidade de discernir ainda não havia sido restabelecida. O discernimento das coisas, a capacidade de entender com clareza tudo que nos cerca é algo absolutamente vital para nosso progresso. Enquanto não somos capazes de diferenciar "homens de árvores que andam", podemos facilmente ser enganados e vencidos. Muitas pessoas entre nós, enxergam mas não conseguem discernir com clareza o que vêem. Discernimento é um dom de Deus, que nos dá condições de proteção, crescimento e sucesso. Não é uma condição física, mas uma postura individual frente à vida e àquilo nos rodeia. É a aplicação do livre-arbítrio em sua plenitude.  No segundo toque de Cristo, este o fez olhar diretamente para cima, rumo à Deus, donde procede a vida, a graça salvadora e tudo o mais de que necessitamos, e daí, a restauração foi completa. Agora então tudo se tornava claro para ele.

MC 8:26 - E mandou-o para sua casa, dizendo: Nem entres na aldeia, nem o digas a ninguém na aldeia.

Permanecer liberto é fruto de esforço e obediência aos conselhos de Jesus. Não voltar ao convívio pernicioso de Bethsaida, nem sair alardeando a quem não valoriza e nem crê nos milagres de Cristo em nossa vida. Essa foi a orientação de Jesus para o cego de Bethsaida, pois sabia que se ele voltasse ao lugar de onde fora tirado, corria o sério risco de assumir o "modus vivendi" antigo. Corria o risco de perder sua grande bênção.

Mas por que Jesus lhe daria tão enfático conselho ? O que poderia haver de tão ruim em Bethsaida para motivar tal atitude da parte de Cristo ?

Lemos em Lucas, quando Jesus comissionou os setenta para irem de dois em dois anunciar o evangelho e realizar sinais, Ele citou nominalmente Corazim e Bethsaida como cidades impenitentes. Chegou a dizer que seriam julgadas com mais rigor do que Sodoma. Basta lembrar como foi severo o juízo lançado sobre Sodoma e Gomorra, para se ter uma idéia da condição de absoluta morte espiritual de Bethsaida.

LC 10:10-11 - Mas em qualquer cidade, em que entrardes e vos não receberem, saindo por suas ruas, dizei: Até o pó, que da vossa cidade se nos pegou, sacudimos sobre vós. Sabei, contudo, isto, que já o reino de Deus é chegado a vós.

LC 10:12 - E digo-vos que mais tolerância haverá naquele dia para Sodoma do que para aquela cidade.

LC 10:13 - Ai de ti, Corazim, ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se fizessem as maravilhas que em vós foram feitas, já há muito, assentadas em saco e cinza, se teriam arrependido.

Jesus fez ainda um paralelo entre Corazim e Bethsaida, apontando que, se em Tiro e Sidom se houvessem operados os sinais que foram realizados naquelas, o povo de de pronto teria se arrependido. Para se entender este paralelo, temos que saber que o juízo impetrado sobre a cidade de  Tiro também foi pouco indulgente: 

IS 23:17 - Porque será no fim de setenta anos que o SENHOR visitará a Tiro, e ela tornará à sua ganância de prostituta, e prostituir-se-á com todos os reinos que há sobre a face da terra.

IS 23:18 - E o seu comércio e a sua ganância de prostituta serão consagrados ao SENHOR; não se entesourará, nem se fechará; mas o seu comércio será para os que habitam perante o SENHOR, para que comam até se saciarem, e tenham vestimenta durável.

Tiro, na realidade,  tipifica o próprio Lúcifer em seu processo de inveja e delírio em querer ser maior que Deus e sua conseqüente queda e perda da glória. Tiro invejou a glória de Jerusalém e desejou ser maior. Alegrou-se com a derrocada da cidade sagrada do povo de Israel.

IS 23:8 - Quem formou este desígnio contra Tiro, distribuidora de coroas, cujos mercadores são príncipes e cujos negociantes são os mais nobres da terra?

EZ 28:2 - Filho do homem, dize ao príncipe de Tiro: Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto o teu coração se elevou e disseste: Eu sou Deus, sobre a cadeira de Deus me assento no meio dos mares; e não passas de homem, e não és Deus, ainda que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus;

EZ 26:15 -  Assim diz o Senhor DEUS a Tiro: Porventura não tremerão as ilhas com o estrondo da tua queda, quando gemerem os feridos, quando se fizer uma espantosa matança no meio de ti?

LC 10:14 - Portanto, para Tiro e Sidom haverá menos rigor, no juízo, do que para vós.

Envolver-se novamente com o povo de Bethsaida, significava mais que voltar ao passado. Significava envolver-se nova e diretamente com o diabo. Quem é amigo do mundo, não pode ser amigo de Deus, porque o mundo está dominado por Satanás. Isso não é clichê ou retórica, mas é uma dura e crua realidade. O povo de Corazim e Bethsaida havia tomado a decisão de rejeitar a Deus, apesar de tantos milagres e maravilhas operados ali. Jesus tinha dado uma especial atenção àquelas cidades, porque eram muito importantes no contexto judaico, já que, eram o pólo cultural daquele povo na época. Ali eram ditados a moda, os costumes e o comportamento reinante entre os judeus. Mas eles o rejeitaram.

JO 1:11 - Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.

LC 10:16 - Quem vos ouve a vós, a mim me ouve; e quem vos rejeita a vós, a mim me rejeita; e quem a mim me rejeita, rejeita aquele que me enviou.
 
Amado irmão que faz comigo este estudo bíblico. Aprofunde-se no estudo deste tema, pois ele é vital para sua alma. Vivemos dias em que muitos já voltaram a Bethsaida, e reassumiram seus costumes, sua postura de antagonismo à Deus e ainda continuam com nome de cristãos. O evangelho de hoje urge e clama por uma reforma. Uma reforma que o faça sair do meio de Corazim e Bethsaida, para viver a verdadeira Eklesia. Fomos chamados para fora da aldeia global. Não somos globalizados, e sim separados e celestializados. Nós fomos constituídos povo eleito e nação santa. Somos universalizados no sentido de um só corpo, mas não globalizados na essência política e filosófica que reina em nossos dias.

1PE 2:9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

1PE 2:10 - Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.

1PE 2:11 - Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma;

Despeço-me com a bênção Aaraônica:

NM 6:24-26 - "O SENHOR te abençoe e te guarde; O SENHOR faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; O SENHOR sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz."



Escrito por Pr. Heber Dias às 00h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


5 PEDRAS LISAS DE UM RIACHO - Parte I

Muito bem... Já está na hora de colocar algo de minha autoria também aqui no blog. Escolhi começar com uma parte do meu livro "5 Pedras Lisas de Um Riacho". A mensagem é mais voltada para pastores e líderes, mas creio que pode acrescentar muito a qualquer um que se interesse pelo assunto. Seu comentário seria de gande valia para mim, e, desde já, autorizo a reprodução e uso. Peço apenas que citem a fonte.

Jesus é o Bom Pastor

Autor: Pr. Heber Dias de Sousa

"Então tomou na mão o seu cajado, escolheu do ribeiro cinco pedras lisas e pô-las no alforje de pastor que trazia, a saber, no surrão, e, tomando na mão a sua funda, foi-se chegando ao filisteu."

( I Sm 17:40 )
 

 A indumentária de um pastor

 Um Cajado

O cajado é o bordão de pastor. Um bastão com uma das extremidades arqueadas usado para se guiar, apartar e recolher as ovelhas. Útil também como instrumento de viagem do peregrino para proteção e apoio, principalmente em caminhos acidentados.

Entender a importância do significado de um cajado na indumentária de um pastor é tarefa que despende pesquisa da Palavra de Deus, e, coração e mente abertos para captar a revelação do Espírito Santo sobre a figura do cajado quando ela aparece nas mais diversas situações na Bíblia. Vejamos alguns dos textos onde o cajado aparece e tentemos extrair ensinamentos práticos para nossa vida e ministério.

 "Então ele disse: Que penhor é que te darei? E ela disse: O teu selo, e o teu cordão, e o cajado que está em tua mão. O que ele lhe deu, e possuiu-a, e ela concebeu dele." ( Gn. 38:18 )

Er, primogênito de Judá, foi um homem mau aos olhos de Deus. Por este motivo Deus o matou antes que ele pudesse deixar descendência. Tamar, viúva de Er, teve de se casar com o cunhado Onã para que este lhe desse herdeiro. Mas este também foi mau aos olhos de Deus e não quis dar herdeiro ao seu irmão, e, por causa disto, Deus também o matou. Sobrou então apenas um filho para Judá, chamado Selá. Judá ficou com medo que também Selá morresse e tentou ludibriar Tamar, mandando-a de volta para a casa de seus pais, prometendo-lhe que seu último filho a buscaria quando tivesse idade. Porém, o que estava em jogo aqui, aos olhos de Deus era a linhagem do Salvador da Humanidade. Jesus Cristo seria filho de Judá. A salvação vem dos Judeus ( João 4:22 ). Deus havia escolhido Judá para futuramente ser detentor do trono de Israel por meio de Davi.

"Judá é um leãozinho, da presa subiste, filho meu; encurva-se, e deita-se como um leão, e como um leão velho; quem o despertará? O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre seus pés, até que venha aquele a quem pertence; e a ele obedecerão os povos."

( Gn. 49:9-10 )

Jesus é o Leão da Tribo de Judá. O ardil de Tamar foi algo de inspiração divina e ela pegou três objetos significativos de seu sogro como penhor de seu suposto "trabalho sujo". O objeto principal foi o cajado. Esse cajado era nada mais e nada menos que o cetro real de Judá. Claro que nem Tamar e nem Judá tinham consciência disto, mas de todo o modo o cajado era algo significativo que serviria para provar a paternidade de Judá sobre os gêmeos Perez e Zerá. Perez está na genealogia de Jesus ( Mateus 1:3 ). O cajado é um cetro real, símbolo de autoridade, unção e poder ( Salmo 110:2 ). A autoridade deve ser exercida com justiça, benignidade e sabedoria. O despotismo é algo que Deus não aprova. O cajado, ou cetro, não é instrumento de opressão e tirania. Pastores que exibem seu cajado cravejado de pedras preciosas, dizendo que tais pedras foram lapidadas nos mais conceituados seminários, e não querem dividir o poder nem querem ouvir opinião de ninguém, não passam de ditadores. Deliram ao brilho de seu cajado e oprimem seu rebanho com requintes de tirania. É preciso usar o cajado para governar com discernimento e humildade. Jesus, a quem pertence o mais precioso e importante dos cajados, disse a Pilatos:

"Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fora dado..." ( Jo. 19:11 )

A verdadeira autoridade é de quem te deu o cajado. Se você pensa que tem mesmo toda a autoridade então você está delirando como Pilatos. Jesus disse ainda, para que possamos entender de uma vez por todas com quem está realmente toda a autoridade: "Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra..." ( Mt. 28:18 ). Se toda autoridade foi dada a Ele no céu e na terra, não sobrou autoridade nenhuma para mais ninguém. Quando Jesus diz toda, Ele quer dizer a totalidade e não uma grande parte. Somente Ele pode dar autoridade a alguém, e, esta autoridade só será legítima se for exercida em nome dEle. Peçamos a Deus sabedoria para usar essa autoridade, outorgada, para a glória dEle, de outro modo, ela acabará se voltando contra nós mesmos.

 "Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR."  ( Ex. 12:11 )

Por ocasião da saída do povo de Israel do Egito vemos a ordem de Deus para que todos comessem a Páscoa já de prontidão para uma longa jornada rumo à Terra Prometida. Hoje temos que estar tão atentos quanto eles:

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos."   ( Ef. 6:1-18 ).

Nossa indumentária é um pouco mais completa porque somos guerreiros e não apenas peregrinos, já que, uma vez salvos, já nos encontramos dentro da Terra Prometida. E dentro da Terra Prometida o ambiente é de guerra. Estamos em constante batalha espiritual se queremos conquistar alguma coisa ou mesmo sobreviver. Mas os pastores tem que voltar sempre ao deserto, e mesmo ao Egito, para conduzir mais e mais povo para a Terra da Promessa. Não voltamos lá vestidos de guerreiros e sim de peregrinos. E então fazemos o percurso inverso e temos que abrir o Jordão e o Mar Vermelho novamente. Nossa ferramenta para tal é novamente o bom e velho cajado. Para realizarmos os sinais e maravilhas lá no Egito, afim de confirmar nossa pregação e nosso chamado, novamente o bom e fiel cajado em cena transformando-se em serpente que devora satanás, transformando as águas em sangue e realizando dez sinais poderosos. E daí por diante sempre o cajado para abrir mais uma vez o Mar Vermelho, ferir os amalequitas, providenciar água da rocha ao sedento e até florescendo produzindo flores e frutos. Ser pesado de língua e não ser o maior dos pregadores não te impede de realizar a obra, mas certamente você precisará do cajado.

"Então respondeu Moisés, e disse: Mas eis que não me crerão, nem ouvirão a minha voz, porque dirão: O SENHOR não te apareceu. E o SENHOR disse-lhe: Que é isso na tua mão? E ele disse: Uma vara." ( Ex. 4:1-2 )

Mas tome o cuidado de usar o cajado exatamente como Deus ordena. Não o use a seu modo pois, mesmo que funcione na hora, as conseqüências serão penosas. Deus havia ordenado a Moisés que falasse à rocha perante o povo em Meribá para que se dessedentassem e glorificassem a Deus.

Mas tome o cuidado de usar o cajado exatamente como Deus ordena. Não o use a seu modo pois, mesmo que funcione na hora, as conseqüências serão penosas. Deus havia ordenado a Moisés que falasse à rocha perante o povo em Meribá para que se dessedentassem e glorificassem a Deus. "Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão, e falai à rocha, perante os seus olhos, e dará a sua água; assim lhes tirarás água da rocha, e darás a beber à congregação e aos seus animais. " ( Nm. 20:8 )

Porém Moisés estava irado com a rebeldia do povo e não agiu de maneira santa para a glória do Senhor. A água que mata a sede deve vir pela Santa Palavra Profética porque ela é o próprio Cristo. Onde Deus queria registrar um dos mais importantes tipos de Cristo, Moisés arruinou com sua ira e feriu com raiva a rocha. Os pastores que querem ser usados por Deus para dessedentar a alma dos homens dando-lhes a beber da Água da Vida, devem aprender a fazê-lo pela santa pregação da Palavra Profética e não à cajadadas. Do contrário, serão privados de contemplar e participar da glória de tudo pelo que lutaram em seus ministérios. "E o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado." ( Nm. 20:12 ) Quantos pastores lutam sua vida inteira mas nunca colhem o fruto de seus esforços nem contemplam os resultados de sua obra? Profetiza com amor e santidade à Rocha da Salvação e esta derramará a Sua água com abundância para matar a sede dos homens. E entrarás com teus rebanhos na Terra Prometida e te alegrarás com eles na vitória.

 

"E o anjo do SENHOR estendeu a ponta do cajado, que estava na sua mão, e tocou a carne e os pães ázimos; então subiu o fogo da penha, e consumiu a carne e os pães ázimos; e o anjo do SENHOR desapareceu de seus olhos." ( Jz. 6:21 )

Os filhos de Israel haviam feito o que era mau perante o Senhor e Deus os entregou durante sete anos nas mãos do midianitas e dos amalequitas, a ponto de terem que se esconder como animais nas cavernas e fendas nas montanhas. Quando os inimigos vinham contra Israel eram como a migração de uma nuvem de gafanhotos cortando, devorando e destruindo tudo. "E punham-se contra ele em campo, e destruíam os frutos da terra, até chegarem a Gaza; e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos, em grande multidão que não se podia contar, nem a eles nem aos seus camelos; e entravam na terra, para a destruir. Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas; então os filhos de Israel clamaram ao SENHOR." ( Jz. 6:4-6 ) A nação de Israel empobreceu e sofreu o juízo de Deus porque deixou o concerto do Senhor e passou a oferecer seu culto e suas ofertas aos deuses dos amorreus, assimilando uma herança religiosa maldita da terra onda habitavam. Mas o clamor do povo chegou aos ouvidos de Deus que enviou uma profecia de libertação e livramento e chamou a Gideão, da família de Manassés, filho de Joás, para ser o libertador do povo naquela ocasião. Deus escolheu Gideão pela sua humildade, sua coragem e acima de tudo pela sua fidelidade. Quando o anjo do Senhor lhe apareceu, ficou claro que apesar de sua revolta contra a situação seu coração estava no Senhor. A primeira coisa que ele fez foi oferecer uma oferta ao anjo, e este mandou que oferta fosse colocada sobre um altar improvisado e a tocou com o cajado, queimando-a e santificando-a. Na Segunda aparição do anjo, este lhe pediu que o altar de Baal, onde sua família cultuava e ofertava, fosse destruído e no local fosse erguido um altar ao Senhor e ali fosse oferecido uma oferta especial. Um boi selecionado foi a oferta que Deus pediu a Gideão. Gideão, por sua vez, cumpriu fielmente as ordens do Senhor e destruiu o altar de Baal e ofereceu ali um sacrifício ao Senhor. Foi apelidado de Jerubaal e a partir dali começou seu ministério de libertação e livramento de Israel.

Significativo que o anjo do Senhor tivesse em sua mão um cajado e com ele santificado a oferta de Gideão. O cajado deve ser usado para consagrar e santificar a oferta do povo no altar afim de que eles sejam libertos dos gafanhotos que migram para suas riquezas, cortam, devoram e destroem suas finanças, seus bens e suas provisões. É uma responsabilidade muito grande que Deus confere a um pastor dando-lhe o cajado para santificar e consagrar as ofertas do povo para que este fique livre da miséria e dos demônios que atuam na vida material. O pastor que usa seu cajado para mal versar as ofertas enriquecendo-se a si mesmo como se elas fossem suas e não de Deus, ao invés de santificar, consagrar e queimar espiritualmente as ofertas usando-as para a glória de Deus, está sendo instrumento de maldição e não de bênção. Temos que ser Jerubaal e não Talcomobaal. É legítimo que o pastor administre as ofertas no sustento da obra e no sustento de sua família, em santidade. Mas nunca esquecendo de que as ofertas são do Senhor e não suas. Se você usa as ofertas para fins espúrios você está tocando no que é de Deus. O pastor é o Anjo da Igreja e deve fazer como o anjo do Senhor em Ofra. Tocar as ofertas com o cajado santificando-as, consagrando-as e "queimando-as espiritualmente" ao Senhor, e nunca "torrando-as à torta e à direita" no que lhe der na telha.

CONTINUA...



 




 



Escrito por Pr. Heber Dias às 18h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Como Identificar uma Heresia

Reader

Não é muito difícil para o cristão sincero identificar uma heresia. Existem alguns aspectos básicos que observados mostrarão a moderna estratégia do diabo, que é a conquista das mentes.

1) Desarmonia com a Bíblia: No trato com as doutrinas da Bíblia, podemos dividir os argumentos da seguintes maneira:


·
Argumento Bíblico. 
·
Argumento extra-bíblico. 
·
Argumento anti-bíblico. 

O argumento bíblico é aquele extraído da Bíblia, em uma interpretação correta e lógica. Jesus usou esse argumento em uma sinagoga em Nazaré acerca de sua missão: Lc 4:16-30.

O argumento extra-bíblico é o argumento que não tem base na Bíblia, entretanto não se choca com os seus ensinamentos. Ex: Pregadores que usam estes argumentos em suas pregações devem tomar cuidado (um mil chegará dois mil não passará; faça da tua parte e eu te ajudarei, etc...).

O argumento anti-bíblico é aquele que fere, torce, subtrai, acrescenta ou se choca com as verdades ensinadas na Palavra de JESUS. Aqui encontramos as heresias que são anti-bíblicas. Algumas são fundamentadas em versículo ou uma expressão isolada da Bíblia quando basta um pequeno conhecimento dos princípios auxiliares da Hermenêutica para refutá-las.

2) Unilateralidade de apreciação doutrinária: Em muitos casos a heresia é caracterizada pelo fato de "escolher" uma doutrina para nela descarregar suas atenções em detrimento das outras. Isto é, afirma a divindade de Cristo abandonando sua humanidade, preocupa-se com o corpo do homem e se esquece da sua alma ou do seu espírito.

3) Contradição com os fatos: História e doutrinas baseadas em fatos que não fornecem base para tal; incredulidade para com ensinamentos baseados em fatos reais, bíblicos ou com raízes bíblicas. Muitos bons cristãos tem sido enganados por coisas deste jaez (qualidade, sorte, laia).

4) Incoerência lógica: Nada impede que o bom senso e a razão sejam usados em matéria de religião. A maioria das heresias não resiste a um confronto lógico com a história, ciência, Bíblia ou com a religião propriamente dita. A Bíblia prevê o surgimento e a evolução das heresias como um sinal dos tempos.



Escrito por Pr. Heber Dias às 17h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Você Ficaria de Pé?


Esta é uma história verdadeira que aconteceu há alguns anos, na Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Havia um professor de filosofia que era um ateu convicto. Sempre sua meta principal era tomar um semestre inteiro para provar que DEUS não existe.

Os estudantes sempre tinham medo de argüi-lo por causa da sua lógica impecável. Por 20 anos ensinou e mostrou que jamais haveria alguém que ousasse contrariá-lo,embora, às vezes surgisse alguém que o tentasse, nunca o venciam. No final de todo semestre, no último dia, fazia a mesma pergunta à sua classe de 300 alunos:

 - Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

Em 20 anos ninguém ousou levantar-se.Sabiam o que o professor faria em seguida. Diria:

 - Porque qualquer um que acredita em Deus é um tolo! Se Deus existe impediria que este giz caísse ao chão e se quebrasse. Esta simples questão provaria que Ele existe, mas, não pode fazer isso!

E todo o ano soltava o giz, que caia ao chão partindo-se em pedaços.E todos os estudantes apenas ficavam quietos, vendo a DEMONSTRAÇÃO.A maioria dos alunos pensavam que Deus poderia não existir. Certamente,havia alguns cristãos mas, todos tiveram muito medo de ficar de pé.

Bem... há alguns anos chegou a vez de um jovem cristão que tinha ouvido sobre a fama daquele professor. O jovem estava com medo, mas, por 3 meses daquele semestre orou todas as manhãs,pedindo que tivesse coragem de se levantar, não importando o que o professor dissesse ou o que a classe pensasse.

Nada do que dissessem abalaria sua fé... ao menos era seu desejo. Finalmente o dia chegou. O professor disse:

- Se há alguém aqui que ainda acredita em Jesus, que fique de pé!

O professor e os 300 alunos viram, atônitos, o rapaz levantar-se no fundo da sala.

O professor gritou:

- Você é um TOLO!!! Se Deus existe impedirá que este giz caia ao chão e se quebre!

E começou a erguer o braço, quando o giz escorregou entre seus dedos,deslizou pela camisa, por uma das pernas da calça, correu sobre o sapato e ao tocar no chão simplesmente rolou, sem se quebrar. O queixo do professor caiu enquanto seu olhar, assustado, seguia o giz.

Quando o giz parou de rolar levantou a cabeça encarou o jovem e saiu apressadamente da sala. O rapaz caminhou firmemente para frente de seus colegas e, por meia hora, compartilhou sua fé em Jesus. Os 300 estudantes ouviram, silenciosamente, sobre o amor de Deus por todos e sobre Seu poder através de Jesus.

Você tem duas opões:

1 - Apagar esta mensagem e esquecer a história ou,

2 - Passar a seus amigos, cristãos e não cristãos, dando-lhes a
coragem que precisamos todos os dias ao nos levantarmos.

EU ESTOU DE PÉ!!! Alguém me acompanha?

"Porquanto, qualquer que, entre esta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos." 

(Marcos 8 : 38)



Escrito por Pr. Heber Dias às 17h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


O Sapo Falador

Essa é daquelas antigas que sempre vale a pena relembrar...
Além disso tem sempre alguém que ainda não leu.




Era uma vez um sapo falador que queria fugir do inverno.

Então, alguns gansos sugeriram que o sapo se juntasse a eles e que fosse com eles para um lugar mais quente.

Mas aí apareceu um problema: sapo não voa, como poderia seguir viagem?

Mas, o sapo sabido foi logo dizendo: “Deixem comigo, tenho um cérebro brilhante, vou ter uma boa idéia”.

Pensou um pouco e então pediu aos gansos que o ajudassem segurando um caniço forte, cada um numa ponta.

Como o sapo tem um bocão, ele poderia se prender ao cabo pela boca e seguir com os gansos.

Em pouco tempo os gansos e o sapo iniciaram a sua jornada.

Assim que passaram por uma pequena cidade os moradores saíram para ver aquela cena estranha e original.

“ Quem poderia ter tido uma idéia tão brilhante?” Perguntaram os moradores.

Isso fez com que o sapo se inchasse tanto de orgulho e, se sentindo importante gritou: “fui eu, fui eu!”

E o orgulho foi sua ruína. Assim, que abriu a boca o sapo se soltou do caniço e começou a cair, estatelando-se no chão.

Moral da história: Ninguém jamais morreu
engasgado por engolir seu orgulho.

"O orgulhoso de coração levanta contendas, mas o que confia no SENHOR prosperará." 

(Provérbios 28:25)



Escrito por Pr. Heber Dias às 17h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


O Mal da Cidade Santa



Você já se imaginou como Sansão, Maria ou Jesus? Pois tem quem acredite ser um personagem bíblico. São pessoas que sofrem de um transtorno mental chamado síndrome de Jerusalém.

 

Introdução

Você está em um passeio turístico pela cidade de Jerusalém, e um amigo seu começa a agir de modo estranho. No começo você pensa que ele está apenas cansado e atordoado com a mudança de fuso horário (em inglês), mas quando ele começar a se contorcer na cama proclamando ser João Batista, você percebe que alguma coisa está errada. Seu amigo está com a chamada síndrome de Jerusalém.


 

 

Um soldado israelense rezando no muroorienteal.
MENAHEM KAHANA/AFP/Getty Images
Um soldado israelense rezando no muro ocientalVeja imagens da síndrome (em inglês)

 

Jerusalém é um lugar importante para muitas pessoas, principalmente os seguidores de três das principais religiões existentes no mundo: cristianismo, judaísmo e islamismo. Jerusalém é a Cidade Santa, e peregrinos vêm a ela todos os anos, a fim de se aproximar mais dos fundamentos de sua fé. Para os judeus, toda a cidade é Santa, especialmente a Muralha Ocidental (mais conhecida como Muro das Lamentações), que é tudo o restou do Grande Templo destruído pelos romanos. Os muçulmanos vêm até a Cúpula da Rocha (ou Mesquita de Omar), um santuário que é o terceiro local mais sagrado para a fé islâmica. Cristãos fazem peregrinações à igreja do Santo Sepulcro, que marca o ponto onde Jesus foi crucificado e morto, e a Via Dolorosa, caminho que Jesus percorreu, carregando sua cruz.

Jerusalém também é uma cidade política, disputada por várias religiões e facções culturais. Portanto, nesse ambiente arcaico, enriquecido por uma bela e dolorosa história, talvez não seja surpresa que aqueles que procuram por alguma motivação encontrem mais coisas do que realmente existam. Imagine que você é uma garota suburbana morando em uma pequena cidade do interior, criada sobre princípios bíblicos, e encontra-se exatamente no mesmo ponto onde Jesus, seu salvador, morreu. Você provavelmente deve estar desapontada – veio aqui para ver esse lugar cheio de poeira? Por outro lado, poderia reagir com alegria e reverência. Nesse momento, a proximidade com Deus é impressionante.

Mas nem todos saem se proclamando profetas. Teriam estas pessoas algum problema mental? Ou foram apenas arrebatados por uma experiência espiritual muito forte? Nesse artigo vamos explorar a síndrome de Jerusalém e examinar alguns casos reais ocorridos com pessoas que lá estiveram. Também discutiremos o que é ou não real, suas causas e como tratá-las.

 

 

Muro OrientalNormalmente as pessoas deixam pequenos papéis com inscrições nas rachaduras do Muro Oriental. Você já teve ter ouvido o Muro Oriental sendo chamado de Muro das Lamentações. O Muro das Lamentações é o nome mais popular entre os não-judeus, e algumas pessoas dizem que ele parece trazer luz às pessoas que ali fazem suas orações. O nome preferido é Muro Oriental.

 

 

Sintomas da síndrome de Jerusalém

Sansão é um personagem bíblico conhecido por sua força sobre-humana – o Hércules do Velho Testamento. Um americano de meia-idade achou que ele mesmo era Sansão. O homem forte da era moderna decidiu que parte do Muro Ocidental precisava ser movido. Ele passou muito tempo se preparando fisicamente e veio a Israel para movê-lo. Depois de uma indisposição com autoridades, ele foi levado para um hospital psiquiátrico.

Já no hospital, um dos psicanalistas inadvertidamente o avisou de que ele não era Sansão. Ele arrombou uma janela e fugiu do hospital. Uma enfermeira o encontrou no ponto de ônibus, elogiou sua força e destreza, fazendo com que ele cooperasse.

Também há o caso da Virgem Maria, ou melhor, a mulher que acha que é a própria Maria. Todos os dias ela segue para a Igreja do Santo Sepulcro, e pranteia a morte de seu filho Jesus no altar de Gólgota. Há uma outra Virgem Maria que convida a todos para a festa de aniversário de seu filho em Belém. A polícia israelense já capturou inúmeros indivíduos vestidos com peles de animais, tentando batizar pessoas, tal como João Batista.

 

Os peregrinos cristãos da Etiópia dormem do lado de fora da Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém
GALI TIBBON/AFP/Getty Images
Os peregrinos cristãos da Etiópia dormem do lado de fora da Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém

 

De acordo com o Dr.Yair Bar-El, os sintomas da Síndrome de Jerusalém são:

  • ansiedade;
  • a urgência de deixar o grupo e explorar Jerusalém sozinho ou sozinha;
  • uma obsessão por limpeza, por banhos, chuveiros, etc;
  • cobrir-se com uma túnica branca feita com lençóis de cama;
  • cantar louvores ou recitar músicas ou versos bíblicos;
  • ficar andando nos locais sagrados;
  • pregar um sermão neste mesmo local, conclamando as pessoas a uma vida melhor [fonte: Bar-El et al].

Os guias turísticos de Jerusalém observam estes dois sintomas: agitação, pessoas tensas ou que começam a se desvincular do grupo querendo seguir viagem sozinhas devem ser acompanhadas de perto. Uma vez que se encontram no estágio da túnica branca, não há nada que as faça parar.

 

Waco, Texas

Outras pessoas dizem que outro exemplo real da síndrome de Jerusalém é o que aconteceu com David Koresh, fundador da seita Herdeiros de Davi envolvido no incidente em Waco. Foi somente depois de sua viagem a Israel que Vernon Wayne Howell rebatizou a si mesmo como David Koresh, em homenagem ao Rei David da Bíblia, e começou a disseminar suas obscuras profecias sobre o Armagedon. Alguns especialistas afirmam que grupos como aseita de Koresh tendem a ser inofensivos, a menos que se sintam perseguidos. Um psiquiatra chegou a sugerir que os negociadores dessem crédito aos devaneios de Koresh, como normalmente é feito nas clínicas que tratam de problemas como o da Síndrome de Jerusalém [fonte: CrimeLibrary (em inglês)].

 

 

FONTE: HowStuffWorks Brasil                             CONTINUA...



Escrito por Pr. Heber Dias às 22h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Perfil da síndrome de Jerusalém

"Sansão" parecia ter as mesmas características de uma pessoaesquizofrênica (em inglês). Então, qual é o histórico padrão de uma pessoa que sofre da síndrome de Jerusalém?

A maioria das pessoas (cerca de 80%) acometidas da síndrome de Jerusalém apresentaram algum tipo de transtorno mental e/ou psicótico, fixação ou problemas de ordem pessoal [fonte: Kezwer]. Elas podem já ter histórico de algum tipo de distúrbio psicológico - "Sansão" faz parte desse grupo - ou ter algum tipo de desvio de personalidade ou fixação.

Grande parte das pessoas que formam esse grupo são judeus; outros são cristãos e alguns poucos, muçulmanos. Os habitantes locais também estão incluídos nesta estatística. Judeus com a síndrome tendem a se identificar com os personagens do Velho Testamento, Cristãos, com os do Novo Testamento. Homens se identificam com os personagens masculinos e mulheres, com os femininos.

Mas o grupo mais interessante é o de uma minoria – pessoas sem histórico de doenças mentais, que visitam Jerusalém, manifestam os sintomas da síndrome e se recuperam rapidamente. Alguns especialistas afirmam que esse grupo não existe, que alguém que não apresente algum tipo de transtorno mental adquira espontaneamente um problema desses. Mas outros discordam.

Quem é propício a ter a Síndrome de Jerusalém? Homens e mulheresrepresentam numericamente quase a mesma quantidade, com uma ligeira elevação da taxa para as pessoas do sexo masculino. A maioria delas são:

  • da América do Norte (ocasionalmente da Europa Ocidental);
  • membros de uma religião cristã protestante;
  • enquadrados numa faixa etária de 20 a 30 anos;
  • solteiros.

Estudos indicam que pessoas que contraíram a síndrome tiveram uma infância muito religiosa, mas abandonaram a religião em algum estágio de sua adolescência ou no início da vida adulta. Portanto, o que esperam ver quando vêm para Jerusalém é o retrato gravado em suas mentes quando crianças, não uma moderna e agitada cidade.

 

Cidadão israelita ao telefone
PATRICK BAZ/AFP/Getty Images
Pessoas que visitam Jerusalém normalmente esperam encontrar um local parecido como na época bíblica. Eles não esperam encontrar telefones celulares e cartazes de propagandas

 

Por qual motivo estariam os cristãos protestantes mais suscetíveis a todo esse fervor religioso? O Dr. Bar-El sugere que esses estariam mais propensos porque, diferentemente de judeus e católicos, que têm tradições, rituais e um mediador para com o Divino (tal como um sacerdote), protestantes se relacionam diretamente com Deus [fonte: Lee]. Os rituais, nesse contexto, podem amarrar a pessoa, conectá-la a Deus de um modo simbólico pela liturgia.

Por que os Estados Unidos, Canadá e Oeste Europeu? Talvez porque a religião tem um lugar incerto no modo de vida ocidental nos dias de hoje. Imagine as notícias que você ouve: de um lado, ouve-se falar de extremistas religiosos suicidas carregando bombas, prontos a detoná-las em nome de um poder superior. Por outro lado, você ouve sobre pessoas denunciando aevolução ou o que você chama de "Natal" em uma carta escolar. Parece ser algo em escala, e o nosso mundo moderno e ocidentalizado não sabe mais onde depositar sua fé. Para aqueles que cresceram devotos e alicerçados na palavra de Deus, o panorama atual não atende aos padrões bíblicos. Talvez ele (ou ela) pense que um retorno às raízes da religião traria de volta a pureza e simplicidade de outrora.

Para alguns, uma visita a Jerusalém vira o mundo de cabeça pra baixo. Mas seria essa síndrome real? 

A realidade da Síndrome de Jerusalém

É certo que muitas pessoas acometidas dessa “enfermidade” têm um histórico de problemas psiquiátricos. Para elas, a Síndrome de Jerusalém é uma extensão da sua insanidade. Se você já está mentalmente doente, a tendência é que seus pensamentos acabem se fixando num objeto específico. Poderia ser uma fixação por OVNIs, ou então teorias conspiratórias - poderia ser também por Jerusalém e o retorno à pureza. Para essas pessoas, Jerusalém passa a ser um lugar culturalmente e historicamente cheio de simbologias que podem dar vazão às suas idéias.

Podemos concluir que, nesses casos, a Síndrome de Jerusalém não pode ser considerada uma anormalidade particular – é um sintoma com uma abrangência maior. Mas o que dizer em relação às mudanças de comportamento que ocorrem com indivíduos cuja sanidade mental não é questionável?

Pessoas com a síndrome propriamente dita não agem como loucos. São ansiosos e até preocupados - e se eu for o Messias? E se eu estiver grávida do Messias? O que eu deverei fazer? - são também educados. Eles descrevem suas experiências como uma sensação de desorientação ou algo parecido com uma intoxicação. Eles não ficam alucinados (em inglês). Eles sabem quem são (eu sei que sou José Silva, mas e se José Silva for o Messias?) Eles se lembram com detalhes do que aconteceu, se envergonham e relutam em discutir o assunto. Dizem ainda que sentiram algo se abrindo dentro delas. [fonte: Bar-El].

Especialistas na Síndrome de Jerusalém acreditam que isso não passa de uma psicose (em inglês). Dizem ser uma reação ao local ou algo mais enraizado dentro de si mesmo.

Eliezer Witztum, professor de psiquiatria, descreveu esse grupo de pessoas como peregrinos ao invés de turistas. Pessoas em férias deixam tudo para trás, movendo-se do centro de suas próprias vidas para um local distante, tanto fisicamente como emocionalmente. Quando estamos viajando, queremos esquecer de tudo o que nos amarra. Peregrinos viajam para o centro de seu mundo, mergulham de cabeça, ao invés de deixá-lo de lado. É esta proximidade com o objetivo central de suas vidas, essa busca profunda de significado, que leva essas pessoas a uma experiência difícil de ser suportada. É simplesmente demais para elas [fonte: Lee].

 

Os peregrinos carregam folhas de palmeiras durante a procissão de Domingo de Palmas que vai desde o Monte das Oliveiras até a antiga cidade de Jerusalém
GALI TIBBON/AFP/Getty Images
Os peregrinos carregam folhas de palmeiras durante a procissão de Domingo de Palmas 

 

É Jerusalém a causa dessas ilusões? Na verdade não. Pode-se dizer que a cidade é um catalisador para reações intensas em pessoas predispostas a elas devido a sua formação religiosa.

É claro que alguns médicos acham que a idéia de classificar clinicamente a Síndrome de Jerusalém como uma doença clínica não faz o menor sentido. Realmente, não há bons estudos que a comprovem com uma síndrome. Pessoas supostamente acometidas pelo problema relutam em fornecer detalhes sobre o assunto e preferem seguir com suas vidas como se nada tivesse acontecido. 

FONTE: HowStuffWorks Brasil                             CONTINUA...



Escrito por Pr. Heber Dias às 22h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
IGREJA DO EVANGELHO
QUADRANGULAR

BAIRRO INDUSTRIAL

Templo da Paz

Rua Tiradentes, 2711
Fone 031 3333-6439
Bairro Industrial
Contagem -MG

Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 EDITORA QUADRANGULAR
 4KUT.COM.BR
 PORTAL QUADRANGULAR BRASIL
 CONSELHO NACIONAL DE PASTORES
 CED MG




Calendario